quinta-feira, 13 de julho de 2017

versões



ela era pluma, eu peso
ela dia, eu noite absurda
ela o dorso, eu a sentença escusa
todas as horas nuas
todas as vias sujas

ela crua, eu triste
ela dança, eu morte
ela crença, eu nadando em abismos
ela celophane, eu escrevendo no chão
ela dançando no chão
eu cuspindo no chão
ela olhando pra cima
esperando promessas
eu comendo no prato
sem receios de fazer doer

ela foi para o paraíso, pluma
eu nem fui visitá-la, peso

Patricia Porto

domingo, 9 de julho de 2017

a torre

no tempo em que as crianças eram destruídas com o olhar
e se urinavam nas calças,
eu mesma não sabia que se podia viver para além da infância

o apito da fábrica de vinagre era um motor
máquina de braços
- a jaula do zoo não era mais o único espaço do mundo

havia o som, o ácido
e talvez alguma outra urgência lá fora

Patricia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog