segunda-feira, 6 de março de 2017

...



Viajar seria a palavra na falta da outra
Na falta da outra seria a mão a revoltar a terra
Na falta da outra uma pá, uma prótese
para esquivar tranquila da onda

e mergulhar, ser imersão,
engolir sozinha o que há de tudo até os miolos

Re voltar na vida
uma vela de lumieiro
ou acender aquela alma tão doentinha, a estrangeira

Viajar para a outra parte e ser do outro o ex-mundo no mesmo
como quem diz ser perto demais a dimensão do oceano
para perder o fio da cabeça

ler reclames de ilusões nos prédios altos
e acreditar que teto é abrigo
que amigo é o hostil que te dá tapas nas costas,

Na falta de todos ver o mar (os avisos)
arriscar ser na torre próxima, o corpo e o signo da vez

Viajar sozinha sem nenhum efeito placebo -
Irremediavelmente imunda
a Retirante

Deus é mãe,
o espírito, humano,
Patrícia

o filho é que é o intraduzível,
língua outra

Patricia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog