quarta-feira, 7 de junho de 2017

por que não te molhas?





À Valeria Garcia

quando ela se olha
é toda reverso
furta o sol
antes da hora bruxa

ela é tão a colhida
toco sua textura
feito abraço e riso

anoitece flor
no espelho onde há miragens
e entre os sinais, o vermelho
foi da casa, já partiu

marcha a vida em trânsito
até o fim
- vestida
até o talho
onde não vês


Patricia Porto