sábado, 27 de maio de 2017

outono farpado

Jenny Morgan



as folhas caiem displicentes em posição de lânguidas
um desejo vertical de queda

ao rufar dos tambores sinos se juntam
quero acreditar que nenhum demônio roubará minha alma
enquanto teclo meus dedos em máquinas exóticas

folhas amarelas, rosas, quase rubras
(desejo invertido de imortalidade)
a aceitação das folhas me quietam
o chão farpado de lucidez
está sob meus pés
um asfalto

Patricia Porto