sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O MÍMICO

Mulher em Macinômio.  Esta imagem faz parte de uma série de fotografias de George Georgiou (fotógrafo britânico), que trabalhou na Sérvia entre 1999 a 2002. A produção de George mostra os pacientes e as condições precárias de um hospício da Sérvia.

*

Dos privilégios de estar vivo e morto:

Hoje ainda nem morri

silêncio é quando há um suspenso, uma corda
e aquela adaga na cabeça diz: se joga!
o tempo pendular da guerra é frouxo,
faz ninho com seus tentáculos no chão

te cortam uma perna, nasce outra
jogam tua cabeça suja, teus pensamentos sujos, tuas palavras imundas
dentro de um balde d'água limpa
a fim de te purificar

Não te tortures!
coração é alma na boca aberta, mas só quando o dente podre dói
 há disfarces de peso pluma (um chumbo escondido na exátula)
- dilatas então um pássaro mímico com as mãos

Não te tortures!

Hoje nenhum de nós entre eles morreu de véspera
nenhum cínico aplaudiu com dois dedos o nosso fracasso,
o fato de não escrevermos versos concisos
nem coisas de sentido enfastiado
Ficou esperando e nada explodiu nas pupilas
O que dizia mesmo Maiakóvski?

ninguém hoje indiferente notou que temos corpos
e estivemos vivos e doloridos o tempo todo

desagradeço pois,
ora, pois
por nós não
não queremos vossos remédios!

Patrícia Porto