quinta-feira, 12 de maio de 2016

Para ninar monstros

um dia alguém acordará do pesadelo que criou

cavernas são para os homens

bocetas para as mulheres,

mas um dia alguém acordará da dor que se inventou,

o grande mito retornará mais bravo que nunca

e espancará seus filhos com cintos e floretes

- a pedidos da mamãe


a noite é sempre porca,

o mato cresceu ao redor de tudo,

o bairro parece pacífico,

mas o amor é lacrimogêneo


Patricia Porto 

Extinção


Judy Dater 


Quem carregará nossos corpos? Ninguém?
Quem ouvirá nosso choro?
Você cuspirá no destino? Talvez.
Quem dormirá de luz acesa na noite de hoje?
Eu, você, todos dormiremos assaltados de medo,
contando nossos corpos fluídos que boiam na bacia. Ninguém.
Ninguém virá catar seus restos fetais.

Refletidos nesses círculos na água
onde crianças brincam de nascer,
por que papai se barbeia?

Patricia Porto

Nada a temer

Rosa era um indivíduo,
mas Rosa também era uma flor,

Rosa tinha desejos em si mesma
e fora de si

Rosa era je e moi na vida

Casou com Leônidas Brasil
e adotou o sobrenome do senhor marido

Rosa Brasil hoje figura no álbum
da tradicional família brasileira

- com todas as omissões de seus espinhos

Patricia Porto

O Dia D

hoje ninguém veio trazer o café
descobri que não falo a língua deste país,
mas conheço um pouco de esperanto
esperanto, esperanto tanto

quem sabe amanhã

Patricia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog