segunda-feira, 30 de maio de 2016

Casinha de Bonecas & Elefantes

Dara Scully


O que importa?
Eles não me vêem, mas eu me vejo.
Eu escrevo e nas minhas veias está meu sangue,
minha corrente de incertezas corre para o centro da cidade.
Eu vejo!
A dor de perder os dentes, a dor de parir pra dentro,
a dor atávica das índias velhas nos funerais.
O que importa se me rejeitam
se não tenho tempo pária, se o corpo é todo ele um esporão,
se o destino não atendeu o chamado da Casa, das Minas.
Eu vejo bem, senhor!
Eu vejo bem, senhora!
Tenho esses dois olhos que a terra há de comer pelas beiradas.
Pelas beiradas levei um cisco no direito,
um tapa no esquerdo,
um sol bem no meio
de estampado!
Meu erro é língua,
meu nome,
minha terra saqueada,
meu tumor no olho de criança,
minha luta é língua.

Vai encarar?

    
Patricia Porto