terça-feira, 1 de março de 2016

Muito



Quem sabe separado por séculos...

Entre a navalha e o esconderijo

Talvez face do mesmo planeta zodíaco

Uma voz dissonante na outra ecoa



Amor de vários tempos, temperaturas

Sagas, cordilheiras,

Trilhas



Entrei no túnel

Não havia luz



O céu de março

Como eu preciso de você!

Agora, no meio da rua, um deserto

Zonas de espectros, identidades

Luz de março piscando essa sua luz em mim

Ambos

Âmbar

Essa noite de serenos e violinos



Pouca faixa de acostamento,

Uma a um

Somos quase algo insano

Quebrado do espelho

misturo

Em foco – em mim -

É mais e muito



Patricia Porto