quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Sólida

© Julia Fullerton-Batten

lar

onde demônios carregam tijolos
solidão é tempo
e as mortes, nossas, esta casa inacabada
sem rosto.

Eu e
- outro eu
no cruzamento de roucos
uma bota suja na cama.

No meio do corredor vazio
a dor é lábil.

E sólida, concretas
sua existência.

Lar onde perdi minha bota.


Patricia Porto