domingo, 26 de abril de 2015

Infância Terrível

Quando contar a alguém da infância terrível,
antes do abrir de olhos e bocas,
caminhe fúnebre na prancha até resumir as noites quentes de amor
num tópico frasal: "então você é terrível..."
Depois é só deixar morrer lentamente
por meia hora.

Patrícia Porto

Juke Box




aquele fiapo maldito na lapela
olhei para o homem que vestia calça e camisa
parecia meu pai nos vincos
carregando fiapos por todo corpo
alegre demais por suas fiações

se tiro o fio
não como o fio
meu avô tinha casa de tecidos
cashmere no epitélio

serei grata por toda indecisão cafona
de ler sinais nos cravos do caixeiro

nos sonoros da Juke Box
músicas de fazer chorar
ultimatos:

levantar
saber sair
levar o corpo

tecido bem não dói

Patrícia Porto

Os graves



Não há exagero nenhum em quebrar os pratos.
Louças foram feitas para isso:
apunhalar o ser amado.
Nos graves.

Patrícia Porto

Nocaute

Dias de solidão rebuscada,
uma notícia de sabor dissonante,
algo entre o bule e a bile
Nenhum tratado amoroso nos espera,
apenas um pequeno buchicho,
olhar de soslaio, beijo de sola

O amor reticente, espremido entre os gânglios
espuma segredos,
desobedece as regras de boa convivência
e conveniência,
a mágoa tão reciproca figura e forma
um desejo embalsamado que trai

O amor e sua brutalidade nos mostra os dentes
e ruge espadas na lata

Patrícia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog