domingo, 27 de dezembro de 2015

o apito da jaula

Kylli Spare


Seja uma linha de trem
caminhando entre as cruzes da família
Eu não deveria me chocar
Eu nasci para trabalhar,
para seguir filas 

Fui libertada pelo carcereiro, 
mas ainda aqui uma linha de trem,
a estrangeira que rompe o casulo

- a desperta!
...
...
...
entrei no mesmo túnel sempre:
cinza,
cinza,
cinza,
cor de uni formes: o tempo
- um hipopótamo na jaula
(parecem devaneios o que escrevo)

saí agora mesmo
vestida de cores que berram, fagulhando o centro
feito despida e crua na carne

- o cadeado é que dói por dentro,
mas ainda assim me leve para o matadouro,
tenho cores novas para mostrar

por baixo


Patricia Porto