segunda-feira, 14 de setembro de 2015

A torre


(caminhando com a serpente)

eu fui andando da lapa à santa teresa, perdi o bonde, perdi um trem de histórias, estava só no abismo da minha aldeia, procurando sinais de descuido, procurando o amor da rede, atravessando meus cacos, luzes, tiros da cidade, malandros da cidade, os seres marginais, a sodomia, deitar com o homem da pança, suado, sujo, comendo cocaína, o tempo dos seres vadios, a vadiagem da rua, do rio, sexo fugaz, solidão feroz, "você é feia, não serve", e havia o tempo quebrado de rir, de dançar um jongo, de descer ao centro, sair nos carmelitas e brincar de ser feliz, instantes, instantes, tudo fundo, tudo raso, tanta superfície, meus talhos, minhas costas alisadas pelo moreno, meu pelo alisado, meu badulaque, minha fantasia, minha máscara de carmelita sonsa, meu desespero de amarelo ocre, meu doce de leite, os quadros de mineiro, os quatros de Sérgio Bopp, a serpente da gente caminhando no mundo, mas eu sou da ilha, não sei dos lados que não sejam mar, não sei do mundo que não seja serpente, serpente mordendo meu pé, sugando meu seio, a serpente no passeio dominical, a serpente na escadaria de Seláron, a serpente no travesti que me acompanha na descida da serpente, vou de roda, sou da roda, atravessei a crosta, acenei para os poetas contemporâneos, acenei para os acadêmicos de Bangu, aqueles que só elogiam carne da boa, mas  não morri ainda, não morri porque tem festa até amanhecer, até amanhecer tem festa, maria padilha, cigana, cabeça de coração, neon piscando, piscando num quarto veludo, o homem fétido com cheiro de merda trocando favores, e vou até mais, até amanhecer, mas meus pés bem continuam congelados...na borra, na borra de café uma Eifell desmorona.

Patrícia Porto  

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog