quinta-feira, 20 de agosto de 2015

carpas de aquário

a verdade não mora no poema
o sofrimento sim, mora no poema
o meu, o seu, o nosso
nossas úmidas notícias de lágrima
moram no poema
moram estes residentes da noite:
angústia, fome, suicídio
suicidas moram de teimosos no poema

à noite
carpas
dores de fígado
sequestro de andorinhas
e a solidão

a solidão é a casa do poema

Patricia Porto