domingo, 26 de abril de 2015

Juke Box




aquele fiapo maldito na lapela
olhei para o homem que vestia calça e camisa
parecia meu pai nos vincos
carregando fiapos por todo corpo
alegre demais por suas fiações

se tiro o fio
não como o fio
meu avô tinha casa de tecidos
cashmere no epitélio

serei grata por toda indecisão cafona
de ler sinais nos cravos do caixeiro

nos sonoros da Juke Box
músicas de fazer chorar
ultimatos:

levantar
saber sair
levar o corpo

tecido bem não dói

Patrícia Porto