terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Olhando Mistral


Raquel Aparício


Essa terrível ideia
de não se olhar
com os próprios olhos
tão dentro de si, são raízes sim,
os dilatados vasos, os diletos ditos,
vou aguando plantas,
vou aguando o tempo,

Tem um aguaceiro
e ainda sinto falta dessa gota d'água...

Tem uma palavra que me pesca o nome,
tem esse sem jeito e o tumulto surdo da cidade em pane.

Lá onde a onda vai é o mesmo ventre,
volta essa terrível ideia de tudo:
de não se olhar,
se não se mirar
de não ter miragens,
de não parar nunca para ter a água rota nesse rio fino...

Patrícia Porto