segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Um sério




Namoramos por quatro semanas ou mais. Todo dia a gente brincava. Ia pra rua. Dançava, dançava... A gente brincava de ser gente, de ser boneco. Ele dizia "estou muito feliz". E a gente brincava de ser criança. Era de novo, de novo de novo. A gente se perdia de risada, se escangalhava no corpo de rir, fazia tempo na cama, na rua, pelo mundo rodando. Mas num dia de muito siso, ele chegou de um repente e disse: "ah, não dá pra viver assim não, menina, com essa alegria sem hora, esse viver brincando junto o tempo todo. Não posso. Não dá. Amor não é isso não. Amor é coisa séria na vida". Final da história. Ele escolheu uma moça pra continuar batendo um sério. Soube que anda batendo um sério até hoje. Eu? Rindo.


Patricia Porto