domingo, 3 de agosto de 2014

Intangível

Stoimen Stoilov 


Nem poros, nem anti-poros, nem uma arrumação a pele
se meu tempo implode 
Não quero mais as dores de ser de Sevilha, eu, o rio civilizado,
você alguém que traz a luz  
O intangível esforço da lagarta... 
De quantos artifícios precisamos para compor um novo mapa?
Sobre a espera de despelar um ante-paro muscular,
um espasmo, e sobre a pele, essa recusa de absolutos,
essa sirene na rua
se meu tempo explode

Patrícia Porto