terça-feira, 10 de junho de 2014

Meu amor,



Meu amor de vestígios, amor de hora, minuto,
esse gosto de suar na boca, 
Minha festa é tua, minha maré fluxa é tua,
minha flor aberta, meus sulcos, minha atmosfera,
essas águas, minha sorte ao avesso

Meu amor, minha sombra é tua, ao meu lado um cão,
minha dose Exu, minha criação, esse sopro de lucidez
Será?

Minha alma de devaneios,
minha poética, uma medida de veneno que cura e mata
Atrás de mim, dentro de mim teus elementos se unem
meus dedos dos pés se animam de língua e beijam

Ouvido molhado, minhas vestes queimadas de naus
Sou a armad-ilha pronta para o resto da tua vida incerta
nesse ócio de bacante

E curto como um curtume
A pele dura  de sal  

Patrícia Porto