domingo, 8 de junho de 2014

Irreversíveis

 Francesca Woodman


Ah, o Amor...
Uma rua obscena, uma câmera escura
que cruza dois ou mais perdidos
sem mexer um fio de cabelo de seu objeto
na arrumação da cena que o oculta, explícita,
explicíto é o sexo, ob-servo

os inexoráveis na porta de entrada e saída

Feito a morte, em absurdo de domínio
sem qualquer controle é liberdade
Sempre em contra adição
- aguarda, coloca flores nos peitoris

PatPorto