domingo, 29 de junho de 2014

Intocável




Foi vítima de um amor asséptico
que limpava as pistas dos crimes por onde passava
onde sujasse o ambiente lá ia o amor logo limpando as digitais,
juntando os cabelos, jogando na lixeira o seu re-verso

sem vestígios, relicários ou qualquer fato de concreto na sua materialidade
na assepsia da palavra que calava, amordaçou qualquer projeto de futuro

Limpou as botas, tirou as marcas de sangue do ressinto
lavou as origens das bocas, dos sexos unidos,
apagou um cigarro nas gotas se suór

alterou a cena do crime
e permaneceu no mesmo, intacto, impassível
- nunca visto antes, uma ninharia

Guardou navalha e bacia. Aguou as sardinheiras...

Patrícia Porto