Verso nenhum!

            Não se engane. Por trás dessa delicadeza mora um bicho selvagem que escreve com as unhas nas pedras e vai rompendo, se fartando das palavras como uma esfaimada suja do que diz - sem piedade, nenhuma decência.