terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A cidade do sol.



(Para Niterói)

Quero lhe falar hoje,
_ Veste-me. Sim, veste-me...
Estou aqui neste estado de crer e ver.
Veste-me então de cravos e borboletas amarelas,
cobre o meu corpo de faltas em excesso...

Por isso preciso ouvir
linguagens que antes nunca me foi dita.
Por isso, rompi silêncios e desertos humanos
para estar nesta cidade onde todos encontram todos
e apagam luzes
sem soturnos.

Veste em mim a fina seda,
o frio metal de existência
e o vasto da alma coletiva.
Podes me cobrir?

Pois sim. Quero lhe falar de hoje
para amanhecer em mim a plena,
vasta, crédula,
cheia de sol
para nesses tempos
seguir a conversar contigo
a vida adentro
falando sobre a passagem...
Só nesse Porto azul assim, algo íntimo entre nós.

Patrícia Porto