quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Porque depois de ti, queimarei todas as naus.




Mar aberto e o pescador lança sua rede para
Atirar ao tempo a chance de encontrar sua
Resposta, pois no cais onde não se sabe se alma parte ou chega,
Correntes o antecipam com promessas de alimento à morte.
E restam tão pequenas gotas, um sal de lágrima, suponho, um soro de
Lágrimas indefinidas em suas represas, um medo abissal de tempestades e...
O pescador faz Deus existir para poder se atirar ao mar. E faz o mar existir onde não existe mar.
...................................... E ele é todo o mar, ele é o céu, ele é o próprio mergulho.


Patrícia Porto