sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A prenda.

Du Xiaodong

Hoje chegou minha prenda.
Chegou vinda do mar.
Veio de corais, a estrangeira,
pescoço nu.
Tocou-me o vento com as mãos,
fez disparada.
E eu entregue ao seu traço de encanto,
deitei-me confortável na sombra de seus cabelos.
E quase morri, quase, quase,
- por ser eu ela mesma.

Patrícia Porto