quinta-feira, 6 de junho de 2013

Casulo.

Arte: Ana Luisa Kaminski 

Tem gente que tem o dom de nos mostrar:
esses pássaros que esquecemos de ver do cuco,
o relógio do bruto que já parou de bater.
toc-toc, o coração de quem confunde estações -
não, não sou de voar -
e só de pensar
em passarar... conluio.

Bom te encontrar, pessoa de tão longe mar!
Gente de segredo místico:
que é véu de cachoeira, magia de prece e sereno.
Constrange até o véu da minha tristeza
e eu que me escondi de baú
dentro desse passará... Encapsulo.

Gente de boa sina,
pessoa de frescor de chuva:
tem tanto de alma das coisas amenas...
Nesses atalhos do meu escuro
até meu sorriso é escapista...
Acabou de passar um...
Viu? Passou aqui... Foi curto.

Gente desse Azul,
aceita a minha lassidão.
Acordes do meu ai ai ai...
Fiquei de tão só, talhando meus dramas,
que me deixei desde menina
parada solista na porta de casa,
brincando de pés, pedrinhas de solidão. Casulo.

Patrícia Porto