sexta-feira, 5 de abril de 2013

Memória de meu guarda-alma.

Madalina Lordache-Levay




A chuva pode durar um deserto de tempo
e causar tanta secura de sorte... que a boca há pra apavorar.
Mas de dentro um dragão, um monstro, uma serpente acende
e te guarda num guarda-alma mágico com doçura.
Então passa tudo... num pingo (!),
num rabisco de memória.

Patricia Porto