sexta-feira, 12 de abril de 2013

Os bailarinos.



Lúdicos e tortos  com seus passos
eles se encontram e se deitam na varanda
Na sacada, nos varais, nas oficinas, nos salões e nos saraus...
Pelos cantos, nos faróis, nas fantasias,
Nas certezas de incertezas de ser dois.
Nos passos fantásticos eles vão e são mágicos demais.
Soltam seus balões, suas etéreas construções.
São aço e sonhos, sombras, vestes e sinais...
Dançam pela rua, descem as esquinas...
E só para chamar nossa atenção
pulam dessa ponte: o coração.

Patrícia Porto