terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Viajar é olhar.





Viajar é olhar;
é ter olhos despertos,
olhos de mar,
de amplitudes e horizontes
- para saber olhar os essenciais
e não o pó fútil do verniz das aparências.

Olhos de viajar
para ouvir a sinestesia do tempo:
uma antiga canção de ninar,
de um cansaço de alma velha súplica
- sem mais tempo para a estupidez
das palavras déspotas,
dos verbos imperativos.

Viajar é olhar
vislumbrar,
desvelar o infinito do nada
e nele: o mais belo do belo que ousou existir.
Ser do tombo, um universo
e ser do profundo a busca
suprema.
Não no meramente raso,
nem tão apenas mesquinho.

Viajar é olhar
para poder um dia, quiçá,
dores acalentadas,
descansar da guerra
do fogo e da caça
no suave abraço
dos braços da amada.
Uma amada tem muitos abraços.

Viajar é olhar
para não perder de vez o sentido,
para não punir a experiência telúrica
com a ausência bruta, cruel, dos que não sentem.

Patrícia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog