domingo, 9 de dezembro de 2012

Pensando na morte do Bezerra.

Shinji Watanabe

Não havia dúvida.
Era preciso enfrentar o Mar:
- não há pressa, disseram.
Trincos trancados.
Xícaras de café.

Templos aguardando
seus joelhos e chagas.

Mas ninguém ficará aflito.
Ninguém cairá da janela do medo
ou subirá escadas de orgulho.
Prometeram:
Ninguém!

No espetáculo fáustico
nenhuma presença dos Anjos,
nenhuma mancha de assalto
no tapete persa. Chinês?

Tome o café rápido!
É preciso enfrentar o Mar:
o absurdo da vida
chamando, chamando!

Marche soldado,
cabeça de papel!
Toda loucura é pouca!

Entra um homem de beca e assalto:
sinto muito, mas o senhor continua vivo
e os suicidas, esses não se enterram em solo santo.
Precisamos reanimá-lo.
Ah, e o solo é santo, doutor?
Atirem-me então ao universo!
E vendam minhas relíquias!
Estou sóbrio e preciso enfrentar o Mar!

Entre os vivos-mortos
ia só dedilhando farsa poética,
onde os vermes-humanos não se podiam mais ver,
“ignoro toda miséria dos seus preceitos!”, gritou!
Agora hei de cerrar a porta do meu abismo com gosto.
Despisto a vida, porque não tive dela virtude,
para abrir enfim, à revelia, a escotilha do mundo!
A última. Que seja. Ao mar!"


É o vasto!
É o Mar!
Estou morto!
Estou vivo!



Patrícia Porto

Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos

Livro: Diário de Viagem para Espantalhos e Andarilhos
Patricia Porto

Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Sobre Pétalas e Preces
Livro: Sobre Pétalas e Preces

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.

Livro: Narrativas Memorialísticas: Por uma Arte docente na Escolarização da Literatura.
Editora CRV; link: http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=3111

Google+ Followers

Com-partilhados...

Pesquisar neste blog