segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

ensaios para voos clandestinos.

Shinji Watanabe


Sim. És pássaro!
então te aprontas e voas
encontra teu universo de um quarto,
de quadros marítimos...
E te dedicas a olhar devassamente
o plano cartográfico dos que já nasceram
em berço de voo.

Sim. És pássaro!
tuas asas estão suspensas por guinchos
sobre marcas de promessas.
Sabes que teu desafeto e destino
é sublimar ressentimentos.
Alçaras o topo de onde
almas humanas também se lançaram aos infernos.
“E temerás do mal - o todo e qualquer um.”

Sim. És pássaro!
tua liberdade ficará grafitada
nas vestes dos filhos de outros filhos.
Tuas asas serão tatuadas
nas costas do homem e da mulher
que ao retornarem cansados
do consumido tempo,
não desejarão a teia infinita
sem mais relógios
e prisões...

Sim. Tu. És. Pássaro!

Patrícia Porto