quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

como agre doce.


 Imagem© Pierre Alain

A chuva veio
e levou tudo assim
como o vasto

Mas o que é o vasto
se não o sal
dessas águas de insistência:
viver?

São nossas as lágrimas,
o soro desses olhos
que cobrem o instante
da chuva de dentro.

Por fora:
as poças vão formando
oásis
como lençóis,
onde o sal agora é doce.

Patricia Porto