sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Subterrâneos

Imagem: Cameron Gray



A recordação tem frente e fundos,
                É tal e qual uma casa;
                Ela tem também um sótão
               Para o refugo e o rato.

(Uma centena de poemas. Emily Dickinson.)


atravesso a ponte para buscar um rosto
coloquei  minha voz para quarar no anil
onde as rosas da mente não as podem podar
planto a cada dia uma outra chance de janela
e não me canso tolo de sofrer reveses
sou subterrâneo  de minhas superfícies
deixo  a água sempre limpa para que os cães bebam
e vou lá fora anônimo com capa de chuva
recolher os meus pedaços no jardim

Patricia Porto