domingo, 22 de maio de 2011

Nove luas de Luiza.

Vários, Gustav Klimt.

O amor sorriu acolhimentos,
alimento de mãe que aninha o coração.
O som-silêncio de chuva,
toda conjugada a doar,
e esperar, e crer...
Nove luas tão cheias,
Menina-mãe dos meus olhos,
luz-farol pro vento frio da vida,
luz que acende a casa e o porto
de todos os elementos em grãos.
Nove luas de Luiza,
novecentos motivos e maneiras
pra viver de novo a embarrigada do tempo,
pra cantar o azul das águas de beber
e dividir a direção em muitas.
O Amor sorriu, calmo, beirando respostas
de mansinho, paciência...
colando estrelas num desenho de criança,
eu vi de perto nuvens, cavalinhos, arco-íris,
uma floresta de árvores de maçãs
e um sol de raios guardando todo um sonho
que eu vivo acordada, enluarada,
amada, amando em duas.

Patricia Porto