quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

A seda e a lã.

A seda e a lã.




Ser mulher é vestir vertigens

Feito virgens velhas,

Feito vidas prontas

Com seus casaquinhos de lã.



Ser mulher é ser santa e ceia.

Dizem: _ “ah, mal não faz comê-la!”



Em-tarde-céu, eu sei,

Mas se toda mulher foi garota

E se a garoa cai,

Nada mais que recebê-la.



Ser mulher é vestir viagens

E ao final do dia descobrir-se intacta

Ao saber o quanto foi bom

Ter tido a chance de merecê-la.



Aquecer seus pés-zinhos,

A mulher que me habita

Com seu casaquinho de lã...

Ave lã!

!!!!!!!!!!


Patrícia Porto