terça-feira, 15 de janeiro de 2008

A boca ainda apavora


A boca ainda apavora

E se o horror de estar consciente
for passar pelos lugares comuns
da miséria humana
numa cena de pequenos clichês?

mas sei que há de encontrar sua vastidão
do outro lado da porta, a louca

há de encontrar o seu outro meio
do outro lado da gota, a lágrima

há de encontrar o seu outro respiro
do outro lado da vírgula, o eu

e a boca rindo, assim
cheia de dentes,
ainda apavora